Previous Next

                 Nos dias 10 e 11 de fevereiro de 2020, nós, alunos de Biologia da turma B do 12º ano da Escola Secundária Dr.ª Laura Ayres, realizamos uma visita de estudo a Lisboa com os objetivos de incentivar e apoiar as nossas futuras decisões académicas. Nestes dias, tivemos a oportunidade de visitar o Laboratório da Polícia Científica (LPC) e a Faculdade de Medicina de Lisboa (Instituto de Medicina Molecular e GenoMed).

               No LPC fomos recebidos pelo Inspector-Chefe Carlos Liz Rodrigues e pela diretora do setor de Biologia Dr.ª Raquel Fernandes. Aqui, visitamos os setores de Drogas e Toxicologia, Físico-Química, Balística, Documental e Identificação Judiciária. Este laboratório constitui uma estrutura Nacional com independência técnico-científica, apoiando a investigação criminal e o sistema de justiça fornecendo uma “probabilidade de verdade”. Neste laboratório, a actividade policial centra-se no tratamento, preservação e análise de vestígios, na comparação entre amostras e na manutenção da base de dados, tanto a nível Nacional como Global. 

               Já no Instituto de Medicina Molecular (IMM) e GenoMed, fomos introduzidos com uma pequena palestra que sintetizava a atividade dos institutos, ministrada pela Doutora Sandra Matos. A GenoMed, sendo um spin-off do IMM, 1c79408e 1971 4629 8772 3acc08f49c59especializa-se na recolha de sangue, líquido raquidiano e amostras tecidulares que são posteriormente analisadas de modo a alcançar resultados e diagnósticos com elevado grau de precisão. Tivemos a oportunidade de perceber como são detetadas as anomalias genéticas associadas a várias doenças, entre elas a leucemia.

               No IMM pudemos visitar, com a Doutora Aida Barros, a Unidade de Fishing que utiliza o Peixe Zebra (Danio rerio) como modelo de investigação de doenças genéticas tais como cancro, osteoporose, desordens cardiovasculares, neurológicas e musculares. Este peixe é um dos poucos vertebrados que consegue regenerar completamente qualquer parte do seu corpo mesmo após amputação. Esta capacidade torna-o num poderoso modelo na medicina regenerativa. Para além deste, os embriões do Peixe Zebra são permeáveis a medicamentos e são facilmente manipuláveis do ponto de vista genético e molecular.

               Por último, visitamos o laboratório Edgar Gomes, onde nos foi introduzido o projeto MyoChip pela Doutora Judite Costa. Este projeto centra-se no desenvolvimento de um músculo-em-chip para aplicações biomédicas. Também foi desenvolvida a temática da arquitetura celular das células musculares, desde a sua função à sua estrutura.

               Concluindo, esta visita permitiu-nos um contacto direto com a aplicação prática de conhecimentos adquiridos em sala de aula, abrindo uma janela de oportunidades para o nosso futuro.

Pág. 1 de 96

© 2019 AESLA. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper

Please publish modules in offcanvas position.